segunda-feira, 6 de abril de 2015

A Mulher no Ônibus


A mulher no ônibus
é a cópia fiel de mãe.
Vejo-a de perfil.
Dói-me o peito,
a alma.
Os olhos se turvam.
Quero a magia daquele momento.
A mulher do ônibus,
sentada no primeiro banco,
vez por outra vira o rosto
a mostrar seu perfil,
seus trejeitos,
sua face,
seu cabelo amarrado.
Tudo é retrato de mãe.
Num pedaço de papel
me arrisco a uns rabiscos,
numa sôfrega tentativa
de fazer o seu retrato.
Queria eternizar aquele momento.
Mas, de repente, o sinal.
A mulher se levanta e...
acabou. Ponto final.
Desce do ônibus
levando minha saudade.
Vai embora
e não me olha.
De novo, estou sozinha.
A imagem, na memória.

Sandra Medina Costa.

2 comentários:

Wesley Costa disse...

Queria poder ter o poder de viajar no tempo somente para ver mais uma vez a mais linda, maravilhosa e importante pessoa que distribuía muito carinho e alegria em minha vida. Saudades da eterna Dona Rosa ou como eu chamava simplesmente de Vó.
Hoje mais uma Rosa que enfeita o jardim de Deus.

Wesley Costa disse...

Queria poder ter o poder de viajar no tempo somente para ver mais uma vez a mais linda, maravilhosa e importante pessoa que distribuía muito carinho e alegria em minha vida. Saudades da eterna Dona Rosa ou como eu chamava simplesmente de Vó.
Hoje mais uma Rosa que enfeita o jardim de Deus.