sexta-feira, 31 de maio de 2013

Adivinha o que eu tenho nas mãos...


[Imagem: Perfil do Armandinho - Facebook]

Dia Mundial sem Tabaco - 31 de maio


A vida é valor absoluto


A vida é valor absoluto. Não existe vida menor ou maior, inferior ou superior. Engana-se quem mata ou subjuga um animal por julgá-lo um ser inferior. Diante da consciência que abriga a essência da vida, o crime é o mesmo. (Olympia Salete)

[Imagem Google]

De Vagar


(ou Da Janela do 3º Andar)

O homem atravessa o portão.
E, em três ou quatro passos,
alcança a porta de entrada
do Abrigo das Meninas.
Nas mãos, uma sacola
com alimentos, roupas... não sei.
Mas com certeza a sacola
está cheinha de luz, sabores,
sorrisos (pois assim está
o coração do homem que
atravessou o portão).
Ele tem certeza de seu gesto.
É sábado de manhã
e ele já tem alimentado o corpo.
Urge agora alimentar a alma.

            (Frente ao portão outro carro pára.
                        Dele descem umas três pessoas,
            também com sacolas mágicas,
                        e adentram o abrigo.)

Alguns minutos se passam
e o homem está de volta.
Sai pela mesma porta
e, em três ou quatro passos,
alcança o portão de saída.
Missão cumprida.
Voltar à vida (pois, lá dentro,
é sobrevida).
Dirige-se para o carro estacionado
a poucos metros e sai devagar.
Devagar segue o caminho,
o coração mais leve...
Devagar.
De vagar se faz sua vida.
Perambula pelos abrigos,
lugares não escolhidos
por aqueles que ali estão.
Sabe disso com clareza,
carrega na alma a tristeza
de ter sido um deles, um dia,
com amargura e aflição.

            (Ouço o pipocar de balões.
                        Lá de dentro do abrigo
                        ecoam vozes alegres,
                        misturadas
            a gostosas risadas.
            Nas sacolas mágicas
            dos três que ali entraram,
            havia tempo e alegria
            que juntos compartilharam.)

Sandra Medina Costa

Belo Horizonte, 17 de março de 2007.

[Imagem Facebook]

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Um beijo


[Imagem: Perfil do Armandinho - Facebook]

A LUA

MPB4
A lua
Quando ela roda é nova
Crescente ou meia-lua
É cheia
E quando ela roda minguante e meia
Depois é lua novamente
Quando ela roda é nova
Crescente ou meia-lua
É cheia
E quando ela roda minguante e meia
Depois é lua nova
Mente quem diz que é lua velha
Mente quem diz
Que a lua é velha
Mente que diz 
[Imagem Google]

Do Salmo 150


Tudo o que respira louve o Senhor!

[imagem da web]

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Chuva de cores


[Imagem Google]

O voo dos gansos


Em qualquer empreitada, temos pessoas mais e menos preparadas, o que vai determinar o sucesso é a consciência para a necessidade de se autoajudarem o tempo todo.

No outono, quando se veem bandos de aves voando, formando um grande V no céu, indaga-se o porquê de voarem desta forma. Sabe-se que quando cada ave bate as asas, move o ar para cima, ajudando a sustentar a ave imediatamente de trás. Ao voar em forma de V, o bando se beneficia com muito mais força de voo do que uma ave voando sozinha.
Pessoas que têm a mesma direção e sentido de comunidade podem atingir seus objetivos de forma mais rápida e fácil, pois viajam beneficiando-se de um impulso mútuo.
Sempre que uma ave sai do bando, sente subitamente o esforço e a resistência necessários para continuar voando sozinha. Rapidamente, ela entra outra vez em formação para aproveitar o deslocamento de ar provocado pela ave que voa imediatamente a sua frente.
Se tivéssemos o mesmo sentido, nos manteríamos em formação com os que lideram o caminho para onde também desejamos seguir.
Quando a ave líder se cansa, ela muda de posição dentro da formação e outra assume a liderança.
Vale a pena nos revezarmos em tarefas difíceis, isto serve tanto para as pessoas quanto para as aves que voam juntas. As aves de trás gritam encorajando as da frente para que mantenham a velocidade.
Quando uma ave fica doente ou se fere, duas aves saem da formação e a acompanham para ajudá-la e protegê-la. Ficam com ela até que consiga voar novamente ou morra. Só então, levantam voo sozinhas, ou em outra formação.

Se tivéssemos o sentido das aves também ficaríamos da mesma forma um ao lado do outro para apoiar o mais fraco.

[Desconheço a autoria]

Do Salmo 149


...porque o Senhor ama o seu povo, e dá aos humildes a honra da vitória.

[Imagem Google]

terça-feira, 28 de maio de 2013

Palavra, palavras...


  • “... e assim são as palavras escritas: possuem um magnetismo especial, libertam, acalentam, invocam emoções. Elas possuem a capacidade de, em poucos minutos, cruzar mares, saltar montanhas, atravessar desertos intocáveis”.
  • Muitas vezes, infelizmente, perde-se o autor, mas a mensagem sobrevive ao tempo atravessando séculos e gerações. Elas marcam um momento que será eternamente vivido por todos aqueles que a lerem.
  • Viva o amor com palavras faladas e escritas, mate saudades, peça perdão, aproxime-se. Recupere o tempo perdido, insinue-se. Alegre alguém. Ofereça um simples “Bom Dia”. Faça um carinho especial. Use a palavra a todo instante, de todas as maneiras. Sua força é imensurável.
  • Lembre-se do poder das palavras.
  • “Quem escreve constrói um castelo, e quem lê passa a habitá-lo.” (Autor desconhecido).
[Imagem Facebook]

Santa Edwiges


Santa Edwiges nasceu em 1174 na Alemanha. Filha de Bertoldo IV da Morávia e de sua esposa, Inês de Rochlitz, foi criada em ambiente de luxo e riqueza, o que não a impediu de ser simples e viver com humildade. O seu bem maior era o amor total a Deus e ao próximo.
Aos 12 anos, casou-se com Henrique I (O Barbudo), príncipe da Silésia (um dos principados da Polônia medieval e atual região administrativa da Polônia), com quem teve seis filhos, sendo que dois deles morreram precocemente. Culta, inteligente e esposa dedicada, ela cuidou da formação religiosa dos filhos e do marido.
Mulher de oração, vivia em profunda intimidade com o Senhor. Submetia-se ao sacrifício de jejuns diários, limitando-se a comer alguns legumes secos nos domingos, terças, quintas e sábado; nas quartas e sextas-feiras somente pão e água. Isto sempre em quantidade limitada, somente para atender as necessidades do corpo.
No tempo do Advento e da Quaresma, Edwiges se alimentava só para não cair sem sentidos. O esposo não aceitava aquela austeridade. Numa Quarta-feira de Quaresma ele esbravejou por haver tão somente água na mesa sendo que ele só bebia vinho. Edwiges então lhe ofereceu uma taça, cujo líquido se apresentou como vinho. Foi um dos muitos sinais ou milagres que ela realizou.
Algum tempo depois Edwiges caiu vítima de uma grave enfermidade. Foi preciso que Guilherme, Bispo de Módena, representante do Papa para aquelas regiões, exigisse com uma severa ordem a interrupção de seu jejum. A Santa dizia que isto era mais mortificante do que a sua própria doença.
Dedicou toda sua vida na construção do Reino de Deus. Exerceu fortes influências nas decisões políticas tomadas pelo marido, interferindo na elaboração de leis mais justas para o povo.
Junto com o marido construiu Igrejas, Mosteiros, Hospitais, Conventos e Escolas. Por isto, em algumas representações a Santa aparece com uma Igreja entre as mãos.
Aos 32 anos, fez votos de castidade, o que foi respeitado pelo marido. Quando ficou viúva, foi morar no Mosteiro de Trebnitz, na Polônia, onde sua filha Gertrudes era superiora. Foi lá que Edwiges deu largos passos rumo à santidade. Vivia com o mínimo de sua renda, para dispor o restante em socorro dos necessitados. Ela tinha um carinho especial pelas mulheres e crianças abandonadas. Encaminhava as viúvas para os conventos onde estariam abrigadas em casos de guerra e as crianças para escolas, onde aprendiam um ofício. Era misericordiosa e socorria também os endividados. Em certa ocasião, quando visitava um presídio, ela descobriu que muitos ali se encontravam porque não tinham como pagar as suas dívidas. Desde então, Edwiges saldava as dívidas de muitos e devolvia-lhes a liberdade. Procurava também para eles um emprego. Com isto eles recomeçavam a vida com dignidade, evitando a destruição das famílias em uma época tão difícil como era aquela do século XIII. E ainda mantinha as famílias unidas.
Assim, Santa Edwiges é considerada a Padroeira dos pobres e endividados e protetora das famílias. Sua morte ocorreu no dia 15 de outubro de 1243. E foi canonizada no dia 26 de março de 1267, pelo Papa Clemente IV. Como no dia 15 de Outubro celebra-se Santa Teresa de Ávila, a comemoração de Santa Edwiges passou para o dia 16 de Outubro. Modelo de esposa, celibatária e viúva, a Santa não faltava à Missa aos Domingos, e isto ela pede aos seus devotos: mais amor a Jesus na Eucaristia e auxílio aos necessitados.

Do Salmo 148


Louvem todos o nome do Senhor, porque só o seu nome é excelso. Sua majestade transcende a terra e o céu...

[Imagem Facebook]

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Podemos acreditar


Podemos acreditar que tudo que a vida nos oferecerá no futuro é repetir o que fizemos ontem e hoje. Mas, se prestarmos atenção, vamos nos dar conta de que nenhum dia é igual a outro. Cada manhã traz uma benção escondida; uma benção que só serve para esse dia e que não se pode guardar nem desaproveitar.
Se não usamos este milagre hoje, ele vai se perder.
Este milagre está nos detalhes do cotidiano; é preciso viver cada minuto porque ali encontramos a saída de nossas confusões, a alegria de nossos bons momentos, a pista correta para a decisão que tomaremos.
Nunca podemos deixar que cada dia pareça igual ao anterior porque todos os dias são diferentes, porque estamos em constante processo de mudança.

(Paulo Coelho)


[Imagem Facebook]

Do Salmo 147


À sua ordem, porém, elas se derretem; faz soprar o vento e as águas correm de novo

[Imagem Google]

domingo, 26 de maio de 2013

Castelos no ar

Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo... (Fernando Pessoa)

Não há como construir um castelo,
Sem antes arquitetá-lo na mente.
As grandes obras, as grandes conquistas,
Os melhores livros, filmes, músicas...
Nasceram de um simples pensamento.
Alguém um dia, pensou, sentiu...
E isso gerou uma semente no universo.
Semente essa que ao longo do tempo,
Passou por guerras, tempestades, desesperança.
Por muitas vezes esteve sozinha e sem destino.
Ninguém pode ouvir suas lagrimas, mas ela chorou...
Não por medo, mas porque quem a criou,
Também a deixara no escuro de suas memórias.
Foi enterrada viva, porque tudo parecia crescer,
E ela continuava pequena, imóvel...
Perante os vendavais que o destino jogou contra ela.
Era apenas um, talvez...
Não valeria a pena esperar por ela.
Talvez... Tenha sido tudo um plano.
Às vezes precisamos morrer em vida, para viver de verdade.
Enterrar aquilo que ainda sangra...

Construir castelos exige sacrifícios,
Muitos não conseguirão ver sua obra terminada.
Mas aquele pensamento, aquela semente,
Vai estar ainda viva no espaço,
E quando um outro alguém,
Estiver olhando as estrelas,
Vai senti-la, e torná-la sua.
E assim, passará por varias almas.
E mesmo que nenhuma dessas almas,
Consiga vê-la grande, ela já será grande...
Sempre foi grande...
O sonho foi realizado,
No momento em que a mente o concebeu.

Se tu simplesmente pensaste em amar,
Tu já amaste, e esse amor sempre vai existir.
Alguém vai olhar as estrelas, vai senti-lo, e torná-lo seu.


[Desconheço a autoria]
 [Imagem Google)]

Habilidades do mundo


[Imagem Facebook]

Do Salmo 146


Grande é o Senhor nosso e poderosa a sua força; sua sabedoria não tem limites. 

[Imagem Facebook]

sábado, 25 de maio de 2013

Genial!


[Imagem Google]

Vida de cachorro


[Imagem Google]

Do Salmo 145


Feliz aquele que tem por protetor o Deus de Jacó, que põe sua esperança no Senhor, seu Deus. 

[Imagem Facebook]

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Um Dia Muito Especial



Pr. Paulo Roberto Barbosa

"Este é o dia que fez o SENHOR; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele" (Sl 118:24).

Neste dia eu não estou só, mas na presença de meu Deus. As circunstâncias deste momento não são maiores que meu Deus. Ele conhece minhas atitudes e as permite. Eu permitirei que ele me dirija e me controle.
Sei que nada deve me irritar como se Ele não se preocupasse ou se importasse ou não pudesse me ajudar. Devo caminhar sabendo que Ele está ao meu lado. Eu sou Sua criação e Sua nova criatura. Eu sou dEle, para fazer o que Ele quiser que eu faça -- abençoar ou ser abençoado, estar completamente à Sua disposição.
O dia pertence a meu Senhor e quero passar esse dia servindo-o. Devo dar tudo que tenho e sou para que, neste dia, Ele seja honrado e glorificado.
Este dia é muito importante para mim. Eu não vou me queixar de nada, não vou murmurar pelas decepções e nem pelas dificuldades, não vou dizer que não posso ou não consigo isso ou aquilo, não me deixarei abater ou me entristecer. Eu confiarei em meu Senhor, glorificarei Seu nome em qualquer circunstância, esperarei pacientemente por Suas respostas, agradecerei por elas, sejam quais forem.
Esse dia será marcante em minha vida. Eu procurarei obedecer aos ensinos da Palavra de Deus, me esforçarei para ser uma bênção para todos com quem encontrar, procurarei brilhar em todas as minhas atitudes. Quero alegrar o coração de meu Senhor, quero que todos percebam que a minha alegria é fruto da presença de Jesus em meu coração, quero aproveitar todas as oportunidades para proclamar que Jesus é o Senhor e Salvador de todos aqueles que o buscam.
Este dia será o melhor de toda a minha vida. Caminharei segurando as mãos de Deus, seguirei a direção que Ele preparou para eu seguir, não me deixarei enganar ou iludir com as mentiras desse mundo. Em todo momento eu louvarei ao Senhor e me regozijarei com tudo que Ele fizer em mim e através de mim.
Esse dia será glorioso! Obrigado, Senhor, por ele.

[Imagem Facebook]

Varal


Do Salmo 144



Que minha boca proclame o louvor do Senhor, e que todo ser vivo bendiga eternamente o seu santo nome.

[imagem Facebook]

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Trabalhe sobre si mesmo


[Imagem Facebook]

O Medo Não Estava Lá



"Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre" (Jo 7:38).

"O medo bateu a porta. A fé foi atender. Ninguém estava lá."

Quando a nossa fé está colocada na pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo, nada temos a temer. O medo logo desaparece, as dúvidas se afastam rapidamente, os questionamentos deixam de existir. A nossa confiança no Senhor nos fortalece, nos enche de uma paz verdadeira, nos conduz em segurança ao porto de todos os nossos sonhos.
Já disseram que o medo de ser derrotado impede que alcancemos grandes vitórias. Se desejamos, portanto, alcançar nossos objetivos, se ansiamos ultrapassar as dificuldades do caminho, se temos por meta atingir grandes vitórias, revistamo-nos de toda a fé e o medo de não conseguir não nos atingirá.
Eu não quero ter medo de ser diferente no mundo, eu não quero ter medo de ter atitudes de amor e generosidade, eu não quero ter medo de dizer que Jesus é o meu Senhor e Salvador, eu não quero ter medo de ser chamado de tolo por ter fé. Eu quero ter fé para não ter medo, para ter o Senhor ao meu lado sempre, para ser uma bênção por onde eu andar.
Se o medo de ficar sozinho bater à sua porta, mande a fé atendê-lo. Se o medo de não conseguir um emprego está tirando sua tranquilidade, mande a fé cuidar dele. Se o medo de ter seus filhos desviados do caminho de Deus está fazendo você chorar, segure a fé com as duas mãos e descanse no altar de Deus. O medo jamais prevalecerá. A fé será seu passaporte para a vitória.
Quem crê não desanima; quem crê não desiste; quem crê não erra o caminho; quem crê não tem medo!
Creia no Senhor, ignore o medo, e rios de bênção correrão de sua vida.

Pr. Paulo Roberto Barbosa

Do Salmo 143



Bendito seja o Senhor, meu rochedo, que adestra minhas mãos para o combate, meus dedos para a guerra;
meu benfeitor e meu refúgio, minha cidadela e meu libertador, meu escudo e meu asilo, que submete a mim os povos. 


[Imagem Google]

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Lições de vida


Se "o mundo é uma enorme sala de aula, onde todos somos alunos e professores", como li há alguns anos numa parede do imenso hall de entrada da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, eis a minha relação, muito pessoal, do que já aprendi e ensinei.

1) Aprendi que o amor é um som que reclama um eco;
2) Aprendi que existe um mundo muito melhor do que aquele que conhecemos, mas que é muito mais caro;
3) Aprendi que nem todos os olhos fechados dormem, da mesma forma que nem todos os olhos abertos vêem;
4) Aprendi que os verdadeiros amigos são os que estão, mesmo quando não estão, e que a simples lembrança do rosto de um deles basta para nos fazer sorrir e viver um dia um pouco melhor;
5) Aprendi que o velho adágio "quem tem alma não tem calma" nem sempre pode ter uma aplicação prática razoável, porque às vezes sorrir e ignorar é melhor do que estrebuchar e bater o pé;
6) Aprendi que a hipocrisia e o carneirismo podem levar-nos bem mais longe do que o mérito, o trabalho e a verdade (mas neste ponto apenas frequentei aulas teóricas, porque as práticas não me interessam verdadeiramente);
7) Aprendi que ser o melhor nem sempre é suficiente, nomeadamente quando somos alvo da avaliação de incapazes e incompetentes;
8) Aprendi que o tempo nem sempre apaga as feridas;
9) Aprendi que somos capazes de virar costas àqueles que não representam qualquer valor acrescentado às nossas vidas;
10) Aprendi que a dignidade é o mais caro dos vícios, mas aprendi também que esse é um preço que estarei sempre disposta a pagar.

Mas também ensinei:

1) Ensinei que o amor é um som que reclama um eco, e de tanto o gritar acabamos um dia por ouvi-lo com a mais encantadora das melodias a acompanhá-lo;
2) Ensinei que nem sempre podemos ter tudo o que desejamos, mas devemos sempre desejar tudo o que temos;
3) Ensinei que dar o exemplo não é a melhor maneira de orientar alguém, mas sim a única;
4) Ensinei que a partilha de sentimentos e opiniões é o mais saudável dos desportos;
5) Ensinei que não é preciso estarmos sempre juntos para estarmos sempre juntos;
6) Ensinei que o dinheiro é fundamental, mas não é a coisa mais importante do mundo;
7) Ensinei que nem sempre é o mais fraco aquele que mais chora;
8) Ensinei que nem sempre é o mais forte aquele que vence quase sempre;
9) Ensinei que o mar, o vento, o Sol e a Lua carregam em si mesmos a magia da vida, e que de nada serve viver sem nuvens, porque sem elas não aprendemos a apreciar o céu limpo;
10) Ensinei que a ética está em "vender" aos outros apenas o que de bom temos para lhes oferecer, sem enganar, sem iludir, sem misturar conceitos, sem mentir nem dissimular.

E por tudo isto, a todos aqueles e todas aquelas com que aprendi estas verdades, a todos aqueles e todas aquelas a quem ensinei algumas destas realidades, muito obrigada por ainda estarem aí/aqui. Tornei-me uma pessoa melhor com a vossa ajuda, e espero ter, da mesma forma, contribuído para o vosso crescimento enquanto seres humanos. Por tudo, a todos, obrigada! Fiquem por aí. Eu volto já.

Carla P. Teixeira

Do Salmo 142


Senhor meu Deus,
...

Fazei-me sentir, logo, vossa bondade, porque ponho em vós a minha confiança. Mostrai-me o caminho que devo seguir, porque é para vós que se eleva a minha alma. 


[Imagem Google]

Tentar


[Imagem Facebook]

terça-feira, 21 de maio de 2013

A Sabedoria e o Bom Senso



Richard Simonetti

          O sábio indiano passava com um discípulo às margens do Ganges.
          Em dado momento, viu um escorpião que se afogava no rio. Pressuroso, estendeu a mão e o retirou das águas. Previsivelmente, o escorpião picou sua mão. Não obstante a dor, o sábio, cuidadoso e paciente, o depositou em terra firme. Teimoso, o bicho voltou ao rio.
          O discípulo, admirado, viu seu mestre novamente, submetendo-se a nova agressão. O escorpião, que parecia orientado por vocação suicida, retomou às águas. Repetiu-se a cena. A mão do sábio intumescia, dor lancinante.
          - Mestre - balbuciou, confuso, o discípulo -, não estou entendendo. Esse escorpião o atacou três vezes e o senhor continua empenhado em socorrê-lo?
          Ele sorriu.
          - Meu filho, é da natureza dele picar; a minha é salvar!

          Grande sábio, não é mesmo, leitor amigo? Se responder que não, concordo plenamente. Faltou-lhe um componente essencial à sabedoria: o bom senso, a capacidade de avaliar uma situação e fazer o melhor.
          Se o exercitasse, simplesmente apanharia um arbusto ou vareta, recolheria o escorpião e o deixaria longe do rio.
          Fácil, fácil, sem nenhum problema.

Sucesso e Humildade



Do Salmo 141



Minha voz lança um grande brado ao Senhor, em alta voz imploro ao Senhor.
Ponho diante dele a minha inquietação, eu lhe exponho toda a minha angústia. 

[Imagem Google]

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Serenidade


[Imagem Facebook]

Do Salmo 140



Senhor, eu vos chamo, vinde logo em meu socorro; escutai a minha voz quando vos invoco.
Que minha oração suba até vós como a fumaça do incenso, que minhas mãos estendidas para vós sejam como a oferenda da tarde. 

[Imagem Google]

domingo, 19 de maio de 2013

Sabedoria


[Imagem Google]

Do Salmo 139



Digo ao Senhor: Vós sois o meu Deus. Escutai, Senhor, a voz de minha súplica.
Senhor Deus, meu poderoso apoio! Vós protegeis minha fronte no dia do combate. 

[Imagem Google]

sábado, 18 de maio de 2013

Reticências


[Imagem Facebook]

Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes


[Imagem Google]

Do Salmo 138



Sede bendito por me haverdes feito de modo tão maravilhoso. Pelas vossas obras tão extraordinárias, conheceis até o fundo a minha alma.

[Imagem Google] 

sexta-feira, 17 de maio de 2013

AO meu ver ou A meu ver


AEROSSOL ou AEROSOL


Do Salmo 137



O Senhor completará o que em meu auxílio começou. Senhor, eterna é a vossa bondade: não abandoneis a obra de vossas mãos.

[imagem da web]

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Receita


[Imagem Facebook]

A VISTA ou À VISTA


Do Salmo 136


Às margens dos rios de Babilônia, nos assentávamos chorando, lembrando-nos de Sião.

[Imagem Google]

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Oração para mim



Que eu me permita olhar e escutar e sonhar mais.
Falar menos.
Chorar menos.
... Ver nos olhos de quem me vê a admiração que eles me têm e não a inveja que prepotentemente penso que têm.
Escutar com meus ouvidos atentos e minha boca estática,as palavras que se fazem gestos e os gestos que se fazem palavras.
Permitir sempre escutar aquilo que eu não tenho me permitido escutar.
Saber realizar os sonhos que nascem em mim e por mim e comigo morrem por eu não os saber sonhos.
Então, que eu possa viver os sonhos possíveis e os impossíveis; aqueles que morrem e ressuscitam a cada novo fruto, a cada nova flor, a cada novo calor, a cada nova geada, a cada novo dia.
Que eu possa sonhar o ar, sonhar o mar, sonhar o amar, sonhar o amalgamar.
Que eu me permita o silêncio das formas, dos movimentos, do impossível, da imensidão de toda profundeza.
Que eu possa substituir minhas palavras pelo toque, pelo sentir, pelo compreender, pelo segredo das coisas mais raras, pela oração mental (aquela que a alma cria e que só ela, alma, ouve e só ela, alma, responde).
Que eu saiba dimensionar o calor, experimentar a forma, vislumbrar as curvas, desenhar as retas, e aprender o sabor da exuberância que se mostra nas pequenas manifestações da vida.
Que eu saiba reproduzir na alma a imagem que entra pelos meus olhos fazendo-me parte suprema da natureza, criando-me e recriando-me a cada instante.
Que eu possa chorar menos de tristeza e mais de contentamentos.
Que meu choro não seja em vão, que em vão não sejam minhas dúvidas.
Que eu saiba perder meus caminhos mas saiba recuperar meus destinos com dignidade.
Que eu não tenha medo de nada, principalmente de mim mesmo:Que eu não tenha medo de meus medos!
Que eu adormeça toda vez que for derramar lágrimas inúteis, e desperte com o coração cheio de esperanças.
Que eu faça de mim um homem sereno dentro de minha própria turbulência, sábio dentro de meus limites pequenos e inexatos, humilde diante de minhas grandezas tolas e ingênuas (que eu me mostre o quanto são pequenas minhas grandezas e o quanto é valiosa minha pequenez).
Que eu me permita ser mãe, ser pai, e, se for preciso, ser órfão.
Permita-me eu ensinar o pouco que sei e aprender o muito que não sei, traduzir o que os mestres ensinaram e compreender a alegria com que os simples traduzem suas experiências; respeitar incondicionalmente o ser; o ser por si só, por mais nada que possa ter além de sua essência, auxiliar a solidão de quem chegou, render-me ao motivo de quem partiu e aceitar a saudade de quem ficou.
Que eu possa amar e ser amado.
Que eu possa amar mesmo sem ser amado, fazer gentilezas quando recebo carinhos; fazer carinhos mesmo quando não recebo gentilezas.
Que eu jamais fique só, mesmo quando eu me queira só.
Amém.

Oswaldo Antônio Begiat

[Imagem Google]