quarta-feira, 4 de março de 2009

Jogo


Esse seu jogo de adivinhação, de insinuação,
Que você sempre faz quando está por perto,
Não sei se faz bem ou mal ao coração,
Mas sei que me descontrola por completo.

Parece fazer figa, me provocar.
Mostra que quer, se insinua.
E foge, no mesmo instante,
Quando estou pra “entrar na sua”.

Me lembra gato e rato,
Mas não no sentido de briga.
Vê se abre esse seu jogo,
Pois seu comportamento me intriga.

Já me sinto meio exausta
Com tanta provocação.
Diga logo o que se passa
Nesse seu coração.


Sandra Medina Costa

(imagem folha uol)

3 comentários:

Carolina disse...

Olá tia Sandra!!!

Achei muito triste esse poema, que parece que coisa de amor não correspondido. Esse cara ta fazendo C... doce.
Dá um pontapé na bunda desse mané e parte para outra.
Ah Ah Ah
To brincando, achei lindo esse poema

Bjos Carolina

Carolina disse...

Olá tia Sandra

Achei triste esse seu poema, que me parece que foi escrito para um amor não correspondido.Puxa vida, o cara fica fazendo C... doce.
Portanto dá um ponta pé na bunda desse mané e parte para outra.
Ah Ah Ah, to brincando.
O poema é demais!!!!
Amei!!!!
Bjos Carolina

filha de rosa com pescador disse...

Oi, Carolina!
Isso é poema antigo... E foi o que fiz com o mané! rsrsrs
Beijos.
Obrigada pelo post