sábado, 23 de agosto de 2014

O Bonde e a Esperança


“Perdi o bonde e a esperança.”
O bonde volta.
A esperança revolta
                        faz volta
                        volta e meia
                        vai e volta e vai...

O sonho perdura
meio aos pedaços,
            aos caquinhos que parecem
                                   ter vida própria
            querendo se juntar sozinhos...

Perdi o “bonde”.
Não queria perder você.


Sandra Medina Costa

Um comentário:

André Gil disse...

Querendo sonhar com a esperança/se perdura a revolta não dá para juntar bonança/um meio de fazer tudo sozinho/volto a perder os meus pedaços pelo caminho.

Querendo me juntar não me perderei sozinho/perdura os sonhos em meio aos pedaços/faço meia-volta e volto a ter esperança.

Bonde dos caquinhos coloridos/bonde meio assim firinfimfim/queria parecer o dono da esperança/você vai e vem/você vai e volta/você se apropria do destino.

Queria perder o bonde mas não perder você/a sua própria aparência parece de mil caquinhos/quebrou a cara/perdeu a vergonha na cara/meia-volta volver/o bonde da esperança vai e volta.